Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

Em 1882, a Figueira da Foz foi elevada à categoria de cidade, num contexto de celebração, otimismo e esperança para o futuro. O edifício dos Paços do Concelho resulta deste novo impulso e da necessidade de concentrar os diversos serviços camarários no mesmo imóvel. Do concurso aberto pela câmara, saiu vencedora a proposta da dupla de arquitetos italianos Cesare Ianz e F. Giuseppe Fiorentini. O edifício foi inaugurado no início de 1898. O resultado final é um edifício de tendência horizontal e gosto eclético, com fachada principal formada por cinco corpos, que, implantado numa das principais artérias da Figueira da Foz, marca a paisagem da urbe, tendo sido classificado como edifício de interesse municipal em 2005.

No interior, devido à riqueza decorativa, merece particular menção o salão nobre. O espaço foi decorado segundo um projeto de Ernesto Korrodi. Aí, merecem detida atenção os tetos ornamentados com estuque e a presença de elementos decorativos com simbologia relacionada com o município. Destaque também para uma tela de Pedro Alexandrino, representando a aparição da Virgem do Carmelo a Simão Stock, os retratos de Manuel Fernandes Tomás, da autoria de Gilberto Renda e o retrato do arqueólogo António dos Santos Rocha, executado por José Santa Maria.


para saber mais: http://www.patrimoniocultural.gov.pt (Classificado como IM – Interesse Municipal)