Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

D. Dulce de Aragão e o primeiro foral de Mortágua

D. Dulce de Aragão foi a segunda rainha de Portugal. Era filha dos reis de Aragão, Petronilha de Aragão e Raimundo Berenguer, também conde de Barcelona. Em 1174, D. Dulce veio para Portugal para para se casar com o príncipe D. Sancho, filho de D. Afonso Henriques. Dulce tinha apenas 14 anos e o seu noivo tinha 20. O casamento satisfez os interesses políticos de ambos os reinos. De facto, Portugal era um país jovem e a sua independência ainda não tinha sido reconhecida pela Santa Sé. Precisava, por isso, de aliados dentro da Península Ibérica e o reino de Aragão parecia uma escolha óbvia, já que era um inimigo tradicional de Castela.

Apesar de o casamento ter resultado duma combinação política, tudo indica que D. Dulce e D. Sancho terão gostado muito um do outro, o que deve explicar os 11 filhos que geraram, 5 mulheres e 6 homens. Dessa extensa prole, alguns merecem uma referência especial, nomeadamente: D. Afonso II e as beatas Teresa, Sancha e Mafalda. D. Dulce morreu em 1198, com 38 anos de idade. Alguns anos antes, em 1192, tinha concedido foral a Mortágua, o que é um sinal claro da autonomia que ela detinha.

Galeria de Fotos

Visite-nos e descubra tudo o que temos para lhe mostrar.