Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

O modelo administrativo do concelho foi estabelecido pela primeira vez na carta de foral de 1192, outorgada por D. Dulce. Este documento é o elemento fundador do concelho de Mortágua. Mais tarde, em 1403, Mortágua teve novo foral, agora dado por Gonçalo Anes de Sousa, senhor de Tentúgal e 3.º senhor de Mortágua. No século XVI, por ocasião da reforma dos forais, D. Manuel I concedeu a Mortágua um novo foral. Na sequência da doação do foral manuelino, ergueu-se este pelourinho.

Os pelourinhos serviam para expor ou punir criminosos e, devido a essa ligação com a aplicação da justiça, eram encarados como símbolo da liberdade municipal. No caso do pelourinho de Mortágua, a estrutura está hoje colocada a alguns metros do local primitivo e sofreu vários acidentes e intervenções ao longo do tempo. É formado por uma coluna assente num soco quadrangular de três degraus, com capitel simples rematado por um cubo, estando as faces do remate decoradas com motivos heráldicos muito desgastados.


para saber mais:http://www.patrimoniocultural.gov.pt (Classificado como IIP – Imóvel de Interesse Público).