Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

Os restos mortais de D. Teresa e D. Sancha repousam na capela-mor da igreja do mosteiro de Lorvão em duas urnas-relicário. Os túmulos, datados de 1715, estão revestidos de prata recortada e apresentam uma forma alongada e bojuda, sendo da autoria do ourives portuense Manuel Carneiro da Silva. Para muitos visitantes, as urnas constituem o maior ponto de interesse na igreja do mosteiro de Lorvão, tendo em conta importância das duas mulheres para a história do convento. No entanto, há outros elementos nesta igreja de nave única que merecem um olhar atento.

Um deles é o cadeiral com 102 cadeiras, de madeira de jacarandá e nogueira, que se afirma pelas dimensões (é um dos maiores do país) e pela qualidade dos ornatos e do imaginário presente, esculpido com figuras de santos e mascarões. Entre os outros motivos de interesse contam-se: as pinturas da autoria de Pascoal Parente, Agostino Masucci e Miguel de Paiva; o órgão setecentista neoclássico construído por António Xavier Cerveira no final do século XVIII; a imagem quinhentista de Nossa Senhora da Vida; o silhar de azulejos de padrão policromado na sala do capítulo; os retábulos de pedra e talha dourada; para além de mobílias e tapeçarias dos séculos XVII e XVIII.

para saber mais: http://www.patrimoniocultural.gov.pt (Classificado como MN - Monumento Nacional)