Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

O Castelo de Avô localiza-se na margem do rio Alva, na freguesia com o mesmo nome, sendo a sua construção atribuída a D. Afonso Henriques.

Trata-se de um exemplar da arquitetura militar, em estilo gótico, de enquadramento urbano, isolado, na encosta entre as serras da Mendacha e a dos Almoinhos, em posição dominante sobre a povoação.

Apresenta planta ovalada, no formato de um polígono irregular, adaptado à morfologia do terreno. Os panos de muralha são rasgados por uma porta em arco quebrado, com 3,50 m de altura e 2,70 m de largura. A torre de menagem estava adossada à muralha, protegendo um dos ângulos da fortificação. Junto à porta da muralha, pelo exterior, situa-se a Capela de São Miguel. De planta retangular, construída em pedra, de nave única, com capela-mor saliente e dois nichos laterais, desconhece-se a data da sua edificação.

Na segunda metade do século XIX, a Câmara Municipal ordenou a demolição da torre de menagem, face à sua ruína eminente. Na mesma altura, grande parte da secção sul das muralhas foi desmantelada para que a pedra fosse utilizada na construção da estrada distrital e da ponte sobre a Ribeira de Mouro. Nesse mesmo período, muitos particulares recorreram ao antigo castelo para obter pedra para as suas construções, o que também contribuiu para degradar o monumento.

Ao longo do século XX, foram realizados vários trabalhos de restauro e consolidação com o objetivo de conservar e restaurar a estrutura.

O conjunto do “Castelo de Avô”, incluindo as ruínas da Ermida de São Miguel, está classificado como Imóvel de Interesse Público, desde 1963.

R. do Castelo 10
3400-372 Avô