Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

O Trilho das Quedas de Água das Paredes é um percurso linear de pequena rota, com cerca de 7,1 km de extensão (ida e volta), que se insere no projeto transversal “Serras de Coimbra” da CIM-RC. O percurso pedestre tem como principal atrativo, como o próprio nome indica, as Quedas de Água das Paredes, localizadas no seu final. O traçado do percurso desenvolve-se ao longo do curso da Ribeira de Moinhos, até à aldeia de Paredes, permitindo descobrir as ruínas de sete moinhos de água e a importância que a ribeira teve, num passado não muito longínquo, para as práticas agrícolas e o sustento da população local. Esse testemunho, da relação do Homem com a ribeira, ainda está presente nos vários açudes ou represas existentes, que formam pequenas piscinas e cascatas de beleza singular. Após percorridos 1700 m desde o início do percurso, surge a aldeia de Paredes, na qual é possível observar a presença do xisto na arquitetura tradicional. Faça uma breve pausa para visitar a aldeia e aproveite para conversar com os afáveis habitantes locais, procurando descobrir a importância da ribeira, dos vários moinhos e da cultura do milho na fixação destas populações. Apesar de estar rodeada por eucaliptais, ao longo das margens da ribeira é possível identificar várias espécies ripícolas, características das margens dos cursos de água, como amieiros, salgueiros, sanguinho-de-água, carvalho-alvarinho e feto-real. Pontualmente surgem castanheiros, medronheiros, loureiros e sobreiros, que refletem vestígios da floresta de outrora. A presença desta vegetação autóctone favorece a existência de espécies como o lagarto-de-água, a cobra-de-água-viperina, a rã-ibérica ou a salamandra-lusitânica. Algumas das espécies de roedores aqui presentes são importantes fontes de alimento para a raposa. O Percurso termina nas magníficas Quedas de Água das Paredes, que em dias solarengos as águas puras e frescas que caem em cascata formando pequenas piscinas naturais convidam a refrescantes banhos. Para os visitantes mais radicais, existe a possibilidade de escalar a íngreme parede natural e descobrir, de outra perspetiva, toda a força e beleza das cascatas.

Mapa PDF

 

 

Características

Extensão 3,55 Km (7,1 Km ida e volta)
Duração 1h30
Tipo de percurso Linear
Desnível acumulado + 108 m
Altitude 358 m / 214 m
Época aconselhada primavera, verão e outono

Dificuldade
Avaliado de 1 a 5 (1: fácil; 5: difícil)

Tipo de piso 2
Esforço Físico 2
Adversidade 2
Orientação 2