Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

A Rota das Pontes, percurso circular com uma extensão de 14 km, insere-se no projeto transversal “Rios e Zonas Húmidas” da CIM-RC, permitindo a descoberta do património natural e cultural desta região beirã, moldada pela presença do granito e dos seus cursos de água, entre os quais o rio Cavalos. Sugere-se o início do percurso no centro de BTT da aldeia de Várzea de Candosa, devendo seguir-se em direção ao centro da mesma, merecendo um olhar atento as diversas fontes existentes, o casario em granito e a praça contígua à Capela de Santo Amaro. Seguindo por caminhos rurais, o traçado do percurso conduz ao denominado Arco da Moura ou Arco da Velha, uma rocha granítica em forma de arco, com uma abertura de tamanho considerável, rodeada de graciosas fragas que permitem uma vista panorâmica sobre a aldeia. A caminho da aldeia de Vale de Gaios, detenha-se por alguns momentos a apreciar a Ponte Romana de Sumes, obra arquitetónica que une as duas margens do rio Cavalos, de apenas um arco, com vão de volta perfeita, cujo tabuleiro mede aproximadamente 50 m de comprimento e 3 m de largura, na qual se evidencia o engenho e a sabedoria construtiva do Império Romano. Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1990. Na galeria ripícola do rio Cavalos poderá observar belos exem- plares de amieiro, freixo, salgueiro, feto-real, carvalho-alvarinho, choupo-negro e sabugueiro. Na área envolvente, os aflo- ramentos rochosos são pontuados por pequenas plantações de pinheiro-bravo, de eucalipto e, também, algumas espécies invasoras como a acácia, o ailanto e a tintureira. No entanto, é de salientar a regeneração de espécies autóctones características da região, como o medronheiro, o sobreiro, a urze-branca, a esteva e o carrasco. Nos afloramentos graníticos marcam presença as espécies bolbosas como o narciso endemismo lusitânico, constante dos Anexos II e IV da Diretiva Habitats, a cebola-albarrã, a Gagea soleirolii e a Romulea bulbocodium. Na aldeia de Vale de Gaios, repouse da jornada no parque de lazer, refresque-se na represa do rio e descubra o trilho de BTT, construído em madeira, que acompanha a ribeira. Neste planalto beirão é presença assídua a raposa, o javali e a águia-de-asa-redonda. No meio das fragas é possível observar répteis a fazerem termorregulação, como a lagartixa-do-mato ou a cobra-rateira. Nas margens do rio Cavalos poderá observar fugazes melros ou o chapim-real.



Mapa PDF

 

 

Características

Extensão 14 km
Duração 4h20m
Tipo de percurso Circular
Desnível acumulado 352 / 176 m
Altitude +436 m
Época aconselhada primavera e verão

Dificuldade
Avaliado de 1 a 5 (1: fácil; 5: difícil)

Tipo de piso 1
Esforço Físico 3
Adversidade 1
Orientação 2