Este site utiliza cookies. De uma forma geral, os cookies são utilizados para melhorar a experiência de navegação no site e para melhorar a qualidade dos serviços que disponibilizamos através do mesmo.

Ao clicar “Aceito” está a autorizar a utilização dos nossos cookies. Poderá encontrar mais informação acerca do uso que fazemos de cookies na nossa Política de Cookies.

A rota das Dolinas e das Lagoas do Planalto de Sicó enquadra-se no projeto transversal “Serras de Coimbra” da CIM-RC, tem como objeto de referência as Dolinas do Planalto de Sicó, depressões geológicas mais ou menos circulares, existentes em terrenos calcários cársicos, resultantes da dissolução química das rochas ou de erosão subterrânea, constituindo depósitos naturais de água.

Para a realização desta rota circular, com 23,5 km, sugere-se começar no largo da Igreja Matriz de Degracias (S. Sebastião), onde se pode apreciar o edifício religioso datado do séc. XVIII, que guarda no seu interior uma capela batismal dos finais do séc. XVI, inícios do séc. XVII. De salientar ainda o relógio de sol na parede sul da torre sineira. Seguidamente, entra-se no mundo das Dolinas, começando na Dolina das Degracias (dolina em forma de concha, com cerca de 47 m de diâmetro), segue-se em direção à Dolina das Quatro Lagoas (a maior dolina do conjunto de 3 existentes nesta localidade, com uma extensão a oscilar entre os 30 m e os 50 m), à Dolina do Vale Centeio (com uma dimensão entre os 23 m e os 33 metros), passando depois à Dolina de Cotas (de forma circular, com cerca de 28 m de diâmetro). Continuando, segue-se ao encontro do vale do Canhão do Poio (canhão fluviocársico, com vertentes escarpadas) que guiará até à Dolina da N. Sra. da Estrela (em forma de concha, com cerca de 25 m de diâmetro).

O caminho segue até ao Miradouro de Nossa Senhora da Estrela, no alto da Serra dos Poios, local para retemperar forças e apreciar todo o vale do Anços e as serranias do concelho. Aqui encontra-se a Capela de Nossa Senhora da Estrela, voltada para poente, centro de grandes romarias nos séc. XVI e XVII, com a particularidade de metade da sua estrutura ter sido erigida debaixo de uma gruta.

Depois do repouso merecido no miradouro, chega-se finalmente à Dolina de Casais de São Jorge (de forma circular, com um diâmetro a oscilar entre os 12 e os 16 m). Nas margens das dolinas formam-se comunidades herbáceas de espécies hidrófilas, onde se destacam os juncos, junça, junção, tabúas, tanchagem-da-água, baldélia-ranunculada, poejo e, no leito, são frequentes os ranúnculos-aquáticos e o gramão.

Devido à grande dimensão da rota, existe uma variante no percurso, corte norte-sul, passando pelo Outeiro do Moinho, que o divide praticamente em dois, criando, assim, a possibilidade de realizar esta rota em dois percursos circulares mais pequenos. Um de 17 km de extensão que segue apenas pelo lado direito da derivação e um segundo de 19 km que segue pelo lado esquerdo.

Mapa PDF

 

 

Características

Extensão 23,5 Km
Duração 7h00
Tipo de percurso Circular
Desnível acumulado 609 m
Altitude 370m / 151m
Época aconselhada Todo o ano

Dificuldade
Avaliado de 1 a 5 (1: fácil; 5: difícil)

Tipo de piso 1
Esforço Físico 4
Adversidade 1
Orientação 1